Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Julgar pela contracapa, sim ou não?

por Etcetera, em 31.07.14

Sempre ouvi o ditado: 

"Não se julga um livro pela capa"

 

Na sua essência, em que procura alertar-nos para não tirarmos conclusões precipitadas sobre, por exemplo, pessoas antes de as conhecermos, está correctíssimo. No campo literário, a veracidade desta afirmação já não é 100% certa. Existem livros que pela capa podemos logo perceber que mesmo podendo estar muito bem escritos não são o nosso "estilo". O que me intriga mesmo é se ao olharmos para a contracapa podemos "avaliar" um livro. Normalmente, na contracapa ou temos um resumo/introdução da história ou então críticas de jornais. O resumo é sempre útil (desde que não revele demasiado), mas e será que as críticas são fiáveis?

 

 

 

Se reflectirmos sobre o preço dos livros (podem ver a minha opinião aqui) torna-se essencial que a façamos uma aposta "certa" quando compramos. Para isso, eu, tenho em conta, principalmente, opinião de amigos que já leram ou então, como recurso, o que vem na contracapa. (Atençao que já apanhei algumas barras quando uso exclusivamente o 2ºmétodo). O principal problema é que muitas vezes não façamos a mais pálida ideia da "fonte" daqueles comentários tão lisonjeiros. Tipicamente: "o melhor romance do ano!", "escrita perfeita aliada a enredo de tirar o fôlego!", "livro imperdível!", etc.. Com estas afirmações seria logo de por no cesto, pagar e agarrarmo-nos às páginas sem parar, só que na maior parte das vezes isto é "tanga". Como fazemos agora? Qual escolhemos?

 

Altura de por em prática outra dica da sabedoria popular:

 

"Quem não arrisca não petisca"

 

Eu guio-me pelo instinto. E vocês o que fazem face a este problema? A contracapa pode servir para julgar ou é só para enganar?

 

Até já.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Ana a 06.08.2014 às 21:28

A nivel da contra-capa, comentários nãome influenciam. É certo e sabido que só estão escritas lisonjas. O mais importante para mim são os resumos. Quando vou a meio destes e já estou a dormir acordada, perdida ou a pensar noutra coisa qualquer parto do principio que o livro terá o mesmo efeito em mim.
Imagem de perfil

De Etcetera a 06.08.2014 às 23:03

Acho, cada vez mais, que as citações se tratam de um tipo de publicidade "comprada" cujo valor é muito relativo. Se o resumo não cativar então não vale mesmo a pena, concordo com o que disse.
Obrigado pela partilha.

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.



Ainda em obras...

Sei escrever, mas ainda não sei programar. Aguardem que isto ainda vai ficar "catita"


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D